integração em empresas

Integração em empresas: como integrar funcionários estrangeiros em uma empresa?

Iniciar em uma nova organização, ainda que do mesmo grupo empresarial, exige adaptações a novos ambientes e responsabilidades. Quando juntamos isso ao fato de estar em um país diferente, com outra cultura e costumes, os desafios são ainda maiores. Para o estrangeiro e para a organização, contar com integração em empresas é fundamental para o alinhamento das atividades.

Com a chegada constante de estrangeiros para trabalhar no Brasil, seja em razão da necessidade de mão de obra especializada ou em função da própria abertura do mercado e do forte intercâmbio de técnicas e conhecimentos, os departamentos de RH precisam adotar novas posturas, mais alinhadas à necessidade de promover ações que melhorem a adaptação dos estrangeiros e estimulem a integração entre colaboradores locais e migrantes.

Para receber colaboradores de fora do país, o RH de uma empresa tem de estar devidamente preparado. Separamos para você 6 dicas de como integrar funcionários estrangeiros em uma empresa. Continue a leitura e confira!

1) Crie programas de “adoção” de estrangeiros

Quando o colaborador chega ao Brasil, a empresa precisa oferecer informações que vão desde orientações sobre costumes locais às questões técnicas ou estratégicas de sua ocupação. O que é obvio na cultura brasileira, acredite, não é tão claro assim para quem acaba de chegar no país.

Basta imaginar que, em alguns lugares do mundo, até o lado de dirigir é diferente, ou então, a informalidade como as pessoas se cumprimentam no Brasil, com beijos e toques, muito comuns na cultura local, mas que pode ser recebida com estranheza pelo imigrante.

Uma boa forma de incentivar adaptações de cultura é convidar os contratados estrangeiros para passar um final de semana na casa de algum colaborador nacional. Crie inscrições voluntárias para “adotar” o estrangeiro no final de semana.

Assim, eles se sentirão mais familiarizados com o ambiente local, gastronomia, cultura e valores da sociedade em que estão vivendo e trabalhando, além de estreitar os laços com famílias brasileiras, favorecendo assim, sua adaptação e socialização no Brasil e em seu novo ambiente de trabalho.

2) Faça workshops

Aborde temas como a diversidade, que auxiliem o entendimento das diferenças culturais no ambiente de trabalho. Foque na capacitação de equipes brasileiras para socializar com times de imigrantes, e reforce desde a relevância de estar em contato com outras línguas  até a cultura de países que fazem negócios com o Brasil.

3) Promova momentos de interação

É corriqueiro os estrangeiros interagirem apenas entre si, com círculos sociais próprios, o que pode afetar a rotina profissional e atrapalhar as atividades que envolvam a equipe. Por isso, aposte em happy hours, eventos internos, assim como em dinâmicas e em outros recursos que aproximem o time no cotidiano da organização.

Ações simples trazem grandes resultados de socialização, que maximizam a produtividade da equipe e ainda contribuem para aumentar o sentimento de acolhimento dos estrangeiros.

4) Incentive o domínio de idiomas

Para que o idioma não seja um empecilho para as pessoas se comunicarem, incentive cursos também para os funcionários brasileiros.

Além de poder treinar uma outra língua com pessoas nativas, os colaboradores interessados realmente se sentirão mais motivados com a oportunidade de praticar o inglês, por exemplo, e o estrangeiro se sentirá acolhido quando não souber se comunicar com expressões em português.

5) Familiarize o estrangeiro com relação aos seus direitos e obrigações no Brasil

É importante o estrangeiro saber sobre seus direitos e obrigações em solo brasileiro: documentos necessários, obrigações fiscais, direitos trabalhistas entre outros.

Os documentos necessários para sua estadia regular no país incluem:

  • Registro Nacional de Estrangeiro – RNE. Trata-se da cédula de identidade do estrangeiro no país emitida mediante registro do estrangeiro na Polícia Federal que deverá ocorrer no prazo de 30 dias contados da data de sua primeira entrada no país.
  • Cadastro de Pessoa Física – CPF. Documento obrigatório após estrangeiro que se tornam residentes fiscais para que possam cumprir sua obrigação com a Receita Federal;
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS. A emissão deste documento e o registro de sua contratação é obrigatória para todos os estrangeiros que venham ao Brasil amparados por um contrato de trabalho com empresa Brasileira.
  • Carteira Nacional de Habilitação. O estrangeiro só poderá utilizar a sua carteira de habilitação estrangeira pelo prazo de 6 (seis) meses após sua primeira entrada no país. Findo este prazo, ele deverá obter uma CNH brasileira para poder continuar dirigindo no país

Do ponto de vista fiscal, é importante destacar que considera-se residente fiscal no Brasil e, portanto sujeito a determinadas obrigações como declaração de imposto de renda, comunicado de saída definitivadeclaração de capitais brasileiros no exterior e outros, o estrangeiro que ingresse no Brasil (i) com visto permanente na data da chegada; ou (ii) com visto temporário na data da chegada para trabalhar com vínculo empregatício, ou na data em que complete 184 dias, consecutivos ou não, de permanência no Brasil, dentro de um período de até doze meses.

É relevante lembrar que o estrangeiro com vínculo empregatício com empresa Brasileira  fica ligado à empresa e, caso seja preciso cancelar o contrato de trabalho, as autoridades devem ser formalmente comunicadas, sendo preciso a prova da quitação total dos direitos trabalhistas por parte do empregador.

6) Apresente estrutura para o profissional e para a família

Muitos estrangeiros desistem de uma carreira fora do país de origem por conta de questões como localização da residência e choque cultural.

Neste sentido, é importante que o setor de Recursos Humanos entenda como era a rotina dessa pessoa, em que região ele atuava, se tem filhos, idades dos mesmos, enfim, que compreenda os aspectos mais relevantes da vida desse estrangeiro para que consiga fazer sua transição da maneira mais natural possível, sem tantas “questões” de adaptação.

Diferenças sempre vão existir, mas fazer com que sejam mais suaves é fundamental.

Neste contexto, é essencial a contratação de uma assistência profissional de Relocation que assegure o estabelecimento do estrangeiro e de sua família no Brasil com segurança e eficiência. O profissional de Relocation poderá assistir do básico como a busca por moradia, seleção de escola para os filhos, acompanhamento da mudança,  compra e/ou locação de mobília, instalações (TV a cabo, luz, gás, rede de proteção), até em outros trabalhos mais peculiares como tour de ambientação, Workshops Específicos  para Intercâmbio Cultural em Temas de Interesse, coaching de carreira para o cônjuge entre outros.

A adaptação dos estrangeiros é um processo que pode demorar meses, por isso é fundamental o apoio das empresas. O que você achou dessas 6 dicas de integração em empresas? Assine nossa newsletter para acompanhar mais notícias como essa!